Artes Marciais em "O Cortiço" de Aluísio Azevedo: a dualidade marcial-identitária

Artes Marciais em "O Cortiço" de Aluísio Azevedo: a dualidade marcial-identitária

 

O artigo foi submetido e aceito na Revista Científica Integrada, da UNAERP, e tem natureza interdisciplinar, dialogando a literatura com diversas outras ciências humanas.

 

Resumo: O presente artigo pretende apresentar as artes marciais para além de métodos de combate e defesa pessoal, mas também como produtos culturais de um determinado lugar, embebidos de valores e costumes do modus vivendi local, assim como do contexto histórico em que são inventadas e desenvolvidas. A obra O Cortiço (lançada em 1890), a mais conhecida de Aluísio Azevedo e talvez a mais característica do naturalismo brasileiro, utiliza-se de maneira en passant duas artes marciais nacionais em seu enredo, estas presentes na história oral de seus respectivos países, compondo uma das cenas mais emocionantes de todo o romance.

Para ler o artigo completo, clique aqui.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!